[PAPO SÉRIO] Gratidão

Não há nenhuma palavra ou forma de expressão que possa simbolizar a profundidade deste vídeo. Na mais absurda mesquinharia de nossas almas, nos devotamos todos os dias aos mais diversos anseios materiais: telefones de última geração, roupas de marca, baladas glamourosas, carro do ano e viagens para lugares maravilhosos.

Nessa ânsia de querer sempre cada dia mais, esquecemos muitas vezes que há quem queira apenas o básico pra sobreviver. Quem dera que a “Lindalva” perdida em nós pudesse acordar a cada dia, agradecendo ao Criador pelas bênçãos recebidas. Enquanto ambicionamos o materialismo desenfreado, pequenas e singelas coisas passam despercebido.

E vai muito além… Não nos basta reconhecer e agradecer pelas mínimas coisas que completam nossas vidas, é preciso olhar para o lado. Ajudar a quem precisa não é nossa escolha, é nossa OBRIGAÇÃO. Deveríamos nos envergonhar quando olhamos para o guarda-roupa repleto de peças e muitas vezes dizemos: “Não tenho nada para vestir.” Ou as insistentes dietas que nos acompanham, por estarmos alienados pela ditadura da magreza, enquanto deveríamos agradecer por termos muito mais que arroz para nos alimentar.

Nos inspiremos na pobreza para alcançar a simplicidade que engrandece nossa alma. Que a nossa casa, nosso trabalho, nossas relações interpessoais e tantas outras coisas possam ser motivo de gratidão, desde o nascer ao pôr do sol.

Troca likes? – A era dos mendigos na web e a internet 2.0

E aí, pessoal. Tudo bem com vocês?

Se você é do tipo que classifica sua interação social ou leva em consideração quantos comentários e curtidas seus amigos deixam em suas publicações para hierarquizar amizades esse texto não é pra você. Fuja!
Desde as eras longínquas do surgimento da internet, parte do público nativo da internet carrega consigo uma ânsia insaciável de ser notado, isto é fato consumado. Seja pelo número de amigos em redes sociais, pela quantidade de likes (curtidas) em suas fotos, por quantos comentários conseguiu em cada postagem de seu blog ou pelo número de visualizações em seus vídeos em qualquer que seja a plataforma.
Mas qual é o limite saudável da busca pela audiência nas redes? A menos que você seja social media ou ‘digital influencer’, e precise de engajamento para ter um bom êxito na produtividade do seu trabalho, essa corrida insana por cliques e views tem se tornado definitivamente um comportamento insano, passando a ser adotado inclusive por empresas de pequeno e grande porte. Querem um exemplo?

imagem-01
Já nem sei quantas e quais são as principais técnicas que se pode usar para gerar o famoso ‘pageview‘. Na foto do tuíte acima por exemplo, a ideia é deixar o leitor curioso de tal modo que ele clique no link e saiba mais detalhes do ‘barrigão’ da modelo.

Aliás, ter clicks e acessos é fundamental para qualquer site ou portal de notícia, mas poucas são as equipes que se preocupam em produzir conteúdo de qualidade sem ter que apelar para os gatilhos de atrair o leitor ao despertar sua curiosidade.

Realizando uma trajetória na linha do tempo das redes sociais, nas remotas eras do fotolog, bombava quem conseguia completar o restrito número de comentários em um curto espaço de tempo. O que não era diferente no msh, quando era status ter o maior número de amigos possíveis on line. Na saudosa era do orkut, famoso era quem atingia o limite de 1000 amigos, isso sem contar no “topo dos depoimentos” que era disputado astuciosamente entre os melhores amigos.

Já a tríade do “FacebookInstagramTwitter” é literalmente o núcleo de maior exposição em busca de visibilidade da net (e olhe que nem vou mencionar as fotos apelativas mostrando peitos, bundas e biceps, ou o tradicional “se você crê, deixe seu Amém nos comentários). Porém, a pergunta que não quer calar: vale tudo em nome de retuítes, curtidas e comentários? Pelo visto sim, pois a superexposição leva a parecer que todo mundo é rico, influente e bem posicionado socialmente.

01

Maaaaaas… Se seu objetivo é melhorar sua presença e engajamento nas redes sociais, veja abaixo algumas dicas que podem te ajudar:

Crie posts e conteúdos que despertem o interesse de seu público;

Seja Sincero: as fotos, vídeos ou posts que você tem publicado tem atraído a interação dos seus seguidores? Preocupe-se em postar algo que você gostaria de ver, ou melhor, algo que seus seguidores tenham prazer em curtir e comentar.

Interaja com seus seguidores;

Não adianta querer que as pessoas comentem e compartilhem seus posts se não há interação. Entenda que um perfil é como uma relação com um amigo que te visita em sua casa. Que tal retribuir a gentileza e visitá-lo também?

Explore todos os recursos de cada rede;

Utilize cada funcionalidade. Isso vale para compartilhar posts antigos que tenham dado bons resultados, repostar fotos com a famosa sigla #TBT, use filtros, legendas, marcações e todos os recursos disponíveis a seu favor.

Separe o profissional do pessoal;

Nada pior do que misturar fotos pessoais com foto da sua marca/produto. Entenda que seu cliente (ou seguidor), nem sempre está afim de seguir seu dia a dia, quando na verdade ele adicionou ou curtiu o perfil interessado em seus produtos.

Mostre que você é “antenado”;

Seja no perfil pessoal ou profissional, fique atento ao que está acontecendo ao seu redor. Explore cada assunto, novidade e tendência ao seu favor. Além de atrair a atenção dos seus seguidores é uma excelente forma de criar conteúdo relevante.

Mantenha sua página atualizada;

Não há santo no mundo que consiga bons resultados em uma rede social desatualizada. Não adianta postar uma foto por semana e achar que o perfil terá engajamento. Portanto, mantenha seus perfis sempre atualizados.

Determinar os melhores horários para postar;

Em termos gerais, cada perfil ou rede depende de diferentes fatores de engajamento. A dica de ouro é sempre explorar horários onde há maior pico de audiência, ou seja: meio dia (quando normalmente as pessoas estão olhando o celular durante o almoço) ou a noite (quando seus seguidores já chegaram em casa ou estão a caminho dela).

Use aplicativos de edição de imagem;

Ninguém merece foto embaçada, com péssima resolução ou péssima definição não é? Fiquem atentos ao enquadramento da imagem (caso a foto seja produzida por você), use e abuse das cores quentes ou de imagens ricas em detalhes.

Personalize sua mensagem para cada canal;

Diferente do Facebook (que foi apelidada de rede social do textão), o Twitter por exemplo exige que você seja direto e sucinto, já que cada mensagem permite apenas 140 caracteres. Diferente do Instagram, o Snapchat permite vídeos de apenas 10 segundos. Saiba como utilizar cada recurso transmitindo cada mensagem de forma clara e objetiva.

Cuide da identidade de suas redes;

Verifique se a foto do perfil (ou avatar), imagem de capa, descrição (bio) e informações de contato estão preenchidos corretamente e atualizados. Você não quer que aquele ‘crush’ (ou mesmo seu cliente), procure saber informações sobre você e não descubra nada, não é?

Que tal, gostou das dicas? Gostaria de sugerir algo que ficou faltando? Deixa aí seu comentário ;)

 

Instagram para negócios chega ao Brasil; saiba tudo para as empresas

E aí, turma. Tudo bem com vocês?

Outro dia postei em algum perfil (sabe-se lá qual deles! risos) que o Instagram era uma das outras redes sociais que ainda não possuía uma plataforma específica par análise de dados. Daí o tio Mark Zuckenberg (pra quem não sabe o Facebook comprou o Instagram por cerca de US$ 750 milhões em setembro de 2012) foi lá e resolveu nossos problemas. E aliás, fez algo incrível quando se trata de análise de métricas nessa que é sem dúvida a rede social de fotos mais popular da atualidade.

img_8567

Eu que não sou bobo, já havia migrado de perfil pessoal para usar a conta especificamente para o blog (acessa aí, nunca te pedi nada: –> @blogdonandico). Daí resolvi converter a categoria em perfil institucional. Muita coisa muda, a começar que os perfis de usuários comuns não possuem acesso a esse tipo de informação.

img_85671

01 – Como escolhi a categoria “blog pessoal”, a identificação logo aparece logo acima da descrição no perfil.

02 – Agora é possível entrar em contato (cada usuário pode escolher se quer permitir chamada telefônica, e-mail ou geolocalização)

03 – O aplicativo agora disponibiliza este ícone gráfico onde são disponibilizadas as informações estatísticas do perfil.

img_8568

A tela inicial tem basicamente este visual, onde cada seção se desdobra oferecendo mais informações. Ah, o registro é feito num intervalo de sete dias, de acordo com o desempenho das publicações.

img_85681

Entre os dias 01 e 08 de setembro meu perfil possui 189.432 impressões (que é o número total de vezes que todas as minhas publicações foram vistas).

img_85691

Meu alcance semanal foi de 130.638 (número de contas únicas/perfis individuais viram qualquer uma das minhas publicações).

img_85701

Nada menos que 2.758 pessoas visitaram meu perfil durante esta semana (o que você estavam procurando, hein curiosos? hahaha).

img_85711

Tive 3 acessos aqui no blog redirecionados através do link que está em meu perfil. Para marcas e empresas que possuem grande engajamento do seus seguidores isso é incrível (o que não é meu caso por enquanto rs).

img_85721

Essas foram as publicações com maiores destaques em meu perfil. É possível ainda avaliar individualmente apenas fotos ou vídeos como mostra as imagens abaixo:

img_85731

img_85741

Outro aspecto sensacional da análise de perfil é a maneira como esta seção identifica o perfil dos seguidores. Agora por exemplo dá pra saber que estou a caminho dos 14 mil seguidores e que mais da metade dos meus seguidores são mulheres <3

img_85761

Ah, da pra saber ainda a faixa etária, onde reside a maior concentração dos seguidores e em quais horários o público está conectado em maior volume. Pra quem precisa planejar conteúdo ou agendar posts este tipo de informação é fundamental.

img_85771

img_85781

Ok! Amei tudo. Mas me expliquem uma coisa: o que leva 48 mil pessoas a olharem a foto de um BOLO? o.O

img_85791

[PAPO SÉRIO] Você tem cinco minutinhos do seu tempo pra me emprestar?

Ao sair da aula ontem a noite, coloquei fones de ouvido e música pra distrair até chegar em casa. Creio que você aí que está lendo deve ter seu artista ou banda favorito, e quem sabe uma música em especial que te agrada. Ou ouvi uma das músicas interpretadas por Joss Stone (se você não a conhece garanto que vale a pena), com toda sua vibração e sonoridade, me pus a pensar sobre em que temos empregado nossa “energia”.

Me coloquei no lugar da Joss, suponho que seja um desafio de Titãs produzir um álbum. Escolhe cada música, produzir os arranjos (ou encontrar alguém bom o bastante para fazê-lo), enfim, cuidar para que todo o processo aconteça conforme seus anseios. Mas a reflexão não se trata de música, ou melhor, até trata… Qual a melodia tem dado tom a sua vida? No que você tem gasto seu tempo? Isso te faz feliz? Os resultados do tempo e esforço aplicados em seus projetos pessoais tem sido positivos ou negativos?

Temos anseio de começar cada ano cheio de metas e projetos pessoais, que vão desde emagrecimento e academia, passando pelo curso de idiomas, pela viagem adiada a anos ou mesmo aquela faxina necessária no quarto ou escritório. A questão é, quantos e quais projetos traçados para 2016 foram completamente concluídos com êxito? Ou você é desses que usa o tempo e as mesmas justificativas de sempre para se auto sabotar?

Costumo acreditar que mudanças surgem dos questionamentos internos. Daí a gente pode começar a se perguntar algumas coisas básicas como: quantas vezes você disse “eu te amo” pra quem está contigo nos momentos difíceis? Seu corpo e sua mente andam saudáveis? Qual o último livro que você leu? Como você tem usado a internet pra aprender algo novo? Qual foi a última vez que você preparou um cardápio saudável?

Pode ser que essas perguntas sejam infindáveis, mas tentar encontrar respostas para cada uma delas já é o começo para viver bem, e por que não reinventar uma nova vida. E você? Como tem usado seu tempo e sua energia mental?

[PAPO SÉRIO] Tempo… Tempo… Tempo…

Essa semana fez 6 anos que estou morando em Fortaleza (pra ser mais preciso no dia 02 de setembro). Ainda era ontem quando eu resolvi colocar meia dúzia de roupas misturadas com alguns poucos muitos sonhos rumo a este lugar que até então me soava como longínquo e desconhecido. Foi a esperança e a coragem que me trouxe aqui, e aqui eu resolvi ficar… e ficar… e ficar…

Por mais que o tempo passe, ainda parece que foi ontem que eu resolvi encarar a vida, deixando amigos, amores, sonhos e uma vida inteira pra trás em busca daquilo que Deus havia me oferecido. Sinceramente não houve uma única vez em que eu tivesse me arrependido de tomar uma decisão tão importante.

Levando em consideração o fato de ser pobre, filho de pais separados (e orfão de ambos), sem muitas perspectivas pessoais e profissionais pela frente, só me restava ‘agarrar o touro pelo chifre’ e ver no que isso ia dar. Alegrias foram muuuuitas, decepções? Algumas talvez, mas que quem não as tem?

Tem sido um tempo de muito aprendizado. Neste curto intervalo muitas pessoas entraram (e saíram) da minha vida, amadureci bastante, me tornei uma pessoa mais consciente do respeito ao outro, do quanto as pessoas podem ser verdadeiramente boas (e ruins) comigo, e tudo isso tem sido parte de quem me tornei.

Voltando a Fortaleza… Ah como esse lugar é maravilhoso! Como esse clima quente me abraça carinhosamente todos os dias quando eu acordo, e com todas as suas peculiaridades, sinceramente essa aqui é sim, minha casa. Até quando!? Sinceramente não sei, deixo apenas que o tempo passe… e passe… e passe…