#TODOSPELAAMAZÔNIA

DIUapm_XgAAiSKz

Em mais um passo para exterminar a Amazônia, o presidente Michel Temer acabou, por decreto, com a Reserva Nacional de Cobre e seus Associados (Renca) – uma área do tamanho do estado do Espírito Santo, rica em ouro e outros minérios na divisa do Amapá com o Pará. A consequência direta será colocar em risco a proteção da floresta e das populações indígenas da região.

Sobrepostas aos 4,7 milhões de hectares da Renca existem também nove áreas protegidas: sete unidades de conservação e duas terras indígenas. A medida vai acelerar a chegada da mineração em áreas de floresta com alto valor para conservação e deixar a região aberta ao avanço do desmatamento e da grilagem de terras na Amazônia.

É o momento de parar com a pilhagem e extermínio da Amazônia! Vamos juntar nossas vozes para deixar claro que não aceitamos os planos do governo para a região.

O decreto da Renca comprova que o governo Temer não tem o menor interesse de dialogar com a sociedade, de ouvir as pessoas que vivem e tiram seu sustento da região – povos indígenas, extrativistas e pequenos agricultores. A decisão também deixa claro o plano do governo para a Amazônia: passar florestas públicas para a iniciativa privada, abrir novas fronteiras para mineração e petróleo e criar infraestrutura para escoar toda a produção.

Não aceitamos:

  • o enfraquecimento do licenciamento ambiental e da fiscalização sobre a mineração;
  • a ocupação de terras públicas de alto valor ambiental;
  • a anistia a crimes ambientais;
  • o ataque a direitos trabalhistas e sociais de populações camponesas e de trabalhadores rurais;
  • o não reconhecimento e demarcação de terras indígenas e quilombolas.

ASSINE A PETIÇÃO E IMPEÇA QUE A AMAZÔNIA VIRE UM DESERTO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>