[PAPO SÉRIO] Você tem certeza que homossexualidade precisa de cura?

01

Não é de hoje (nem de ontem) que o homem tenta a todo custo se ver livre da homossexualidade alheia. É como se a orientação sexual do outro lhe pesasse sobre os ombros como um fardo mortal. O direito de seu semelhante de amar e de conduzir suas relações afetivas tem sido motivo dos mais brutais atentados ao longo da história.

No outono de 1933, o campo de concentração nazista de Fuhlsbuttel, no norte de Hamburgo, na Alemanha, marcava com triângulo cor-de-rosa os homossexuais que ali chegavam. O então endocrinologista nazista holandês Carl Vaernet castrou e injetou doses muito altas de hormônios masculinos em seus “pacientes” para observar sinais de “masculinização”. Estima-se que 55% dos gays que entraram nos campos de concentração morreram – algo entre 5 mil e 15 mil pessoas.

Hipnose, castração e terapias reparativas foram usadas ao longo da história para alterar as preferências e desejos de centenas de homossexuais. Uma das terapias usadas foi a lobotomia (cirurgia que retira uma parte do cérebro). O número de pessoas submetidas a este tipo de procedimento na Dinamarca foi de 3,5 mil, sendo a última em 1981. Diante de tantos acontecimentos e de séculos de insistência, é impossível acreditar que o ser humano não tenha se dado conta de que ORIENTAÇÃO SEXUAL NÃO É ESCOLHA. Mas se você ainda acha que a causa gay é mimimi ou problematização desnecessária, me desculpe mas eu tenho que chocá-lo com a realidade de quem se encontra nesse contexto.

CASO DANDARA

O crime aconteceu no dia 15 de fevereiro, no Bairro Bom Jardim (Fortaleza), e ganhou repercussão nas redes sociais após o compartilhamento do vídeo que mostra a travesti sendo agredida por um grupo no meio da rua. Após agressões com chutes e golpes de pau, a travesti Dandara dos Santos foi assassinada a tiros.

SHOCKING VIDEO OF TRANSSEXUAL PLEADING FOR LIFE MOMENTS BEFORE BEING BEATEN TO DEATH

CASO JOÃO DONATI

O corpo do jovem João Antônio Donati (18), que era homossexual assumido, foi encontrado com hematomas em um terreno baldio. O acusado confessou o crime e revelou ter asfixiado a vítima.

joao donati

LESBOFOBIA E RACISMO

Ao parar para cumprimentar um amigo que estava no bar na esquina da rua de sua casa, no bairro Jardim Paiva II, na periferia de Ribeirão Preto, Luana foi abordada e espancada por policiais militares e morreu cinco dias depois, em decorrência de uma isquemia cerebral causada por traumatismo crânio encefálico.

luana

 

ESPANCADO POR DEFENDER TRAVESTI

Homem foi derrubado e agredido com socos e pontapés após passar a catraca da estação Pedro II. Segundo a polícia, ele tinha ido defender uma travesti que era perseguida pelos suspeitos.

espancado

CASO ITABERLI LOZANO

Itaberli Lozano, de 17 anos, foi esfaqueado e teve o corpo queimado em canavial em Cravinhos (SP). Enquanto ainda estava vivo, jovem relatou agressões da mãe por ser gay em publicação no Facebook, .

itaberli

TRAVESTI E IRMÃ SÃO ESPANCADAS

Uma travesti e sua irmã (que não tiveram os nomes divulgados), estavam em uma lotação quando os agressores começaram a fazer comentários homofóbicos e agressivos.  Pedestres que passaram pelo local fizeram vídeo das agressões. Nas imagens, a travesti aparece já no chão, cercada pelos agressores, e é chutada diversas vezes. Um homem sem camisa a acerta com um pedaço de pau. Sua irmã tenta defendê-la e também é agredida. Várias pessoas assistem à cena, mas ninguém as defende.

irmã defende travesti

JOVEM ASSASSINADO A CAMINHO DA ESCOLA

Um crime bárbaro motivado por homofobia chocou a população de São Luis, no Maranhão. O estudante Lucas Carvalho, de 17 anos foi encontrado morto em uma trilha na região metropolitana da cidade. O jovem foi abordado por um grupo de homens, quando estava a caminho da escola e foi brutalmente assassinado. O corpo de Lucas foi deixado próximo a uma UPA, apenas de cueca, degolado e com marcas de esfaqueamento.

jovem-gay-e-brutalmente-assassina-a-caminho-da-escola-no-maranhao

Eu lamento bastante em ter que usar imagens tão fortes, mas acredite, somente ilustrando apenas alguns das centenas de casos de homofobia no Brasil (país que mata um homossexual a cada 25 horas) é possível que parte da população entenda a realidade cruel de nosso país.

Em decisão publicada ontem (18/09), o juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, do Distrito Federal, emitiu em caráter liminar, que psicólogos possam tratar gays e lésbicas como doentes e possam fazer terapias de “reversão sexual” sem sofrer nenhum tipo de censura por parte do Conselho Federal de Psicologia (CFP). Esse tipo de tratamento é proibido por meio de uma resolução editada pelo CFP em 1999, já que desde 1990 a homossexualidade deixou de ser considerada doença pela Organização Mundial da Saúde.

A pergunta é: depois de todos os fatos e fotos listados acima, realmente são os homossexuais que precisam de cura?

02

Um comentário em “[PAPO SÉRIO] Você tem certeza que homossexualidade precisa de cura?

  1. Mariana carla says:

    Antes eu não entendia como alguns de meus amigos gays tinham medo de “sair do armário pra família” hoje em dia eu sei e acredito que todos país já sabem quando seu filho(a) é homosexual ou não sem sair do armário, e esse receio (medo) não está ligado à família e sim a essa sociedade nojenta que não aceitam que nesse mundo ninguém é igual a ninguém, cada um nasce do jeito que é e que todo mundo deveria respeitar e amar o próximo da forma que ele nasceu. Deveriam se preocupar em achar um remédio para assassinos, pedófilos, violadores, corruptos, psicopatas etc… existe tanta coisas mais importantes no mundo pra se preocuparem, vão acabar com a guerra vai buscar a curar pro Câncer vai acabar com a fome no mundo, é difícil acreditar que aínda existe gente por aí morrendo de fome e tanta gente jogando comida fora e os grandões se preocupando em curar gays??? Que merda de pais eh esse??? Eles estão doentes sim e doentes de amor e isso não precisa de cura. Precisamos se contaminar com eles.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>