[PAPO SÉRIO] Hoje acordei pensando na morte…

01

Em 1993 meus decidiram dar uma repaginada nas próprias vidas. Naquela época morávamos em Águas lindas de Goiás (que fica nos arredores do Distrito Federal), fomos então morar na casa dos meus avós em Planaltina (DF) até que eles se estabilizassem e comprassem uma nova casa em um lugar melhor. Talvez tenha sido uma decisão precipitada uma vez que nenhum dos planos se concretizou, porém isso me oportunizou uma convivência difícil porém mais que especial com meus avós paternos.
Hoje, exatamente hoje, no dia 17 de agosto de 2016, completa-se exatos quatro anos que minha avó desencarnou. Além de ser minha segunda mãe, foi uma das pessoas mais geniosas, cheia de personalidade, entretanto maravilhosamente humana. Lembro de tantas coisas engraçadas que eu passaria o dia inteiro a falar dela, mas hoje a pauta é outra…
Nesse meio tempo também partiram meu pai (Luis), minha mãe (Marua) e meu avô materno (Seu Gustavo), respectivamente.
Hoje acordei pensando na morte… Parece meio bizarro, mas diante dessa experiência obrigatória pela qual todos nós um dia iremos passar, me permiti desconstruir esse aspecto fúnebre, tristonho e cheio de sofrimento. Definitivamente já não penso nisso como algo ruim, muito pelo contrário, morte é renascimento, é expansão de consciência, é o cessar de todas as preocupações para que possamos continuar nossa marcha evolutiva.
Há coisas que depois de mortos não mais podemos fazer, dentre elas, externar nosso carinho, amizade e amor pelas pessoas que estão próximas. A fase de Renato Russo soa como clichê, mas não há nada de mais poético nesse contexto que: “É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã”.
Por quantas vezes a gente se prende a sentimentos de mágoa, poluímos nossa mente e nosso corpo de pensamentos ruins quando poderíamos estar usando este tempo pra aproveitar a convivência com aqueles que cruzam nossos destinos.
Neste exato momento estou ouvindo um samba da Roberta Sá (muito contagiante por sinal), e pensando no quanto a vida pode ser uma grande festa independente de todas as dificuldades, que todos nós devemos festejar a todo instante… Que a intensidade do amor que temos por todos aqueles que nos rodeiam seja constante. Aos meus avós e pais que estão em outro plano, bem como a todos os que me rodeiam, minhas doces vibrações de amor, amo-lhes todos indistintamente! <3

02

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *