Troca likes? – A era dos mendigos na web e a internet 2.0

E aí, pessoal. Tudo bem com vocês?

Se você é do tipo que classifica sua interação social ou leva em consideração quantos comentários e curtidas seus amigos deixam em suas publicações para hierarquizar amizades esse texto não é pra você. Fuja!
Desde as eras longínquas do surgimento da internet, parte do público nativo da internet carrega consigo uma ânsia insaciável de ser notado, isto é fato consumado. Seja pelo número de amigos em redes sociais, pela quantidade de likes (curtidas) em suas fotos, por quantos comentários conseguiu em cada postagem de seu blog ou pelo número de visualizações em seus vídeos em qualquer que seja a plataforma.
Mas qual é o limite saudável da busca pela audiência nas redes? A menos que você seja social media ou ‘digital influencer’, e precise de engajamento para ter um bom êxito na produtividade do seu trabalho, essa corrida insana por cliques e views tem se tornado definitivamente um comportamento insano, passando a ser adotado inclusive por empresas de pequeno e grande porte. Querem um exemplo?

imagem-01
Já nem sei quantas e quais são as principais técnicas que se pode usar para gerar o famoso ‘pageview‘. Na foto do tuíte acima por exemplo, a ideia é deixar o leitor curioso de tal modo que ele clique no link e saiba mais detalhes do ‘barrigão’ da modelo.

Aliás, ter clicks e acessos é fundamental para qualquer site ou portal de notícia, mas poucas são as equipes que se preocupam em produzir conteúdo de qualidade sem ter que apelar para os gatilhos de atrair o leitor ao despertar sua curiosidade.

Realizando uma trajetória na linha do tempo das redes sociais, nas remotas eras do fotolog, bombava quem conseguia completar o restrito número de comentários em um curto espaço de tempo. O que não era diferente no msh, quando era status ter o maior número de amigos possíveis on line. Na saudosa era do orkut, famoso era quem atingia o limite de 1000 amigos, isso sem contar no “topo dos depoimentos” que era disputado astuciosamente entre os melhores amigos.

Já a tríade do “FacebookInstagramTwitter” é literalmente o núcleo de maior exposição em busca de visibilidade da net (e olhe que nem vou mencionar as fotos apelativas mostrando peitos, bundas e biceps, ou o tradicional “se você crê, deixe seu Amém nos comentários). Porém, a pergunta que não quer calar: vale tudo em nome de retuítes, curtidas e comentários? Pelo visto sim, pois a superexposição leva a parecer que todo mundo é rico, influente e bem posicionado socialmente.

01

Maaaaaas… Se seu objetivo é melhorar sua presença e engajamento nas redes sociais, veja abaixo algumas dicas que podem te ajudar:

Crie posts e conteúdos que despertem o interesse de seu público;

Seja Sincero: as fotos, vídeos ou posts que você tem publicado tem atraído a interação dos seus seguidores? Preocupe-se em postar algo que você gostaria de ver, ou melhor, algo que seus seguidores tenham prazer em curtir e comentar.

Interaja com seus seguidores;

Não adianta querer que as pessoas comentem e compartilhem seus posts se não há interação. Entenda que um perfil é como uma relação com um amigo que te visita em sua casa. Que tal retribuir a gentileza e visitá-lo também?

Explore todos os recursos de cada rede;

Utilize cada funcionalidade. Isso vale para compartilhar posts antigos que tenham dado bons resultados, repostar fotos com a famosa sigla #TBT, use filtros, legendas, marcações e todos os recursos disponíveis a seu favor.

Separe o profissional do pessoal;

Nada pior do que misturar fotos pessoais com foto da sua marca/produto. Entenda que seu cliente (ou seguidor), nem sempre está afim de seguir seu dia a dia, quando na verdade ele adicionou ou curtiu o perfil interessado em seus produtos.

Mostre que você é “antenado”;

Seja no perfil pessoal ou profissional, fique atento ao que está acontecendo ao seu redor. Explore cada assunto, novidade e tendência ao seu favor. Além de atrair a atenção dos seus seguidores é uma excelente forma de criar conteúdo relevante.

Mantenha sua página atualizada;

Não há santo no mundo que consiga bons resultados em uma rede social desatualizada. Não adianta postar uma foto por semana e achar que o perfil terá engajamento. Portanto, mantenha seus perfis sempre atualizados.

Determinar os melhores horários para postar;

Em termos gerais, cada perfil ou rede depende de diferentes fatores de engajamento. A dica de ouro é sempre explorar horários onde há maior pico de audiência, ou seja: meio dia (quando normalmente as pessoas estão olhando o celular durante o almoço) ou a noite (quando seus seguidores já chegaram em casa ou estão a caminho dela).

Use aplicativos de edição de imagem;

Ninguém merece foto embaçada, com péssima resolução ou péssima definição não é? Fiquem atentos ao enquadramento da imagem (caso a foto seja produzida por você), use e abuse das cores quentes ou de imagens ricas em detalhes.

Personalize sua mensagem para cada canal;

Diferente do Facebook (que foi apelidada de rede social do textão), o Twitter por exemplo exige que você seja direto e sucinto, já que cada mensagem permite apenas 140 caracteres. Diferente do Instagram, o Snapchat permite vídeos de apenas 10 segundos. Saiba como utilizar cada recurso transmitindo cada mensagem de forma clara e objetiva.

Cuide da identidade de suas redes;

Verifique se a foto do perfil (ou avatar), imagem de capa, descrição (bio) e informações de contato estão preenchidos corretamente e atualizados. Você não quer que aquele ‘crush’ (ou mesmo seu cliente), procure saber informações sobre você e não descubra nada, não é?

Que tal, gostou das dicas? Gostaria de sugerir algo que ficou faltando? Deixa aí seu comentário 😉

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *