[PAPO SÉRIO] O dia que Deus sentou na calçada perto de mim

20161127_050746

Dia desses eu estava ali sentado num ‘fim de festa’ quando Deus me dá dois tapas na cara de uma só vez, tai a foto pra provar. Talvez você tenha olhado mas não o tenha visto. Sabe esse moço ali sentado? Pois então… e não ache que fiquei louco ou pense que Deus é um senhor com a voz de trovão e cabelos brancos da cor de algodão.

Este moço da foto se aproximou empurrando o carro cheio de material reciclável e espontaneamente exclamou:
– Tô afim de ficar rico…
De imediato pelo seu tom de voz e pela maneira como falou soou bastante engraçado aquela hora da manhã. Depois de sorrir, respondi: “também tô, como é que faz pra ser rico?”. Na velocidade da luz ele respondeu:
– Se você almoça e janta todo dia você já é rico.
Isto foi literalmente um grande tapa na minha cara, levando em consideração a profundidade filosofica da resposta. Logo ele perguntou na barraca ao lado se tinha água mineral e comprou uma. Logo após se aproximou novamente e me disse:
– você quer água? Metade minha metade sua…
Recusei e agradeci gentilmente, daí mergulhei num universo de considerações internas sobre nossa visão de mundo.
A primeira sem dúvida foi o sentimento de GRATIDÃO que devemos (ou melhor, deveríamos) ter sobre aquilo que nem nos damos conta que temos. Já parou pra pensar que a gente raramente se dá conta de que centenas de milhares de pessoas passam fome debaixo de nossos olhos? Ou que o pão de cada dia que nunca nos falta não é algo que esteja na mesa de nossos irmãos necessitados?
A segunda foi o fato de que precisamos exercitar o sentimento de caridade, doando ou partilhando tudo aquilo que pudemos com quem precisa. E não se trata apenas de roupas ou alimentos. Quantos amigo e familiares nossos estão mendigar atenção, apoio emocional ou uma palavra amiga e isto passa despercebido?
Bom, que eu vi Deus no moço do carrinho de metal eu vi. Sim, meu coração reconheceu suas palavras, espero ter sabedoria para não esquece-las e colocar em prática o que elas me ensinaram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *